9 de novembro de 2016

Duas vidas e uma História (parte 7)

9 de novembro de 2016
Duas vidas e uma História

Relato baseado em histórias reais.
Venho, por meio destes relatos, trazer uma luz e chamar a sua atenção sobre um assunto muito comum, mas que não deveria ser em nossa sociedade e realidade; a desigualdade.
Mostrarei a diferença entre os meios, caminhos e decisões de duas pessoas para chegar em seus objetivos.

Capítulo 4 - Eu desisto

Rio de Janeiro, 1998

...Meados de outubro...

 Luan: Pai... não consigo...
 Sr Antônio: Filho, se você quer isso então não desista.

  Após um ano e meio estudando sax com Carlos na igreja próxima de sua casa, Luan começa a querer voltar atrás com seu sonho.
  Carlos, ou Carlão do tenor como era conhecido, era professor de música da Igreja do Bairrinho a quase 5 anos no projeto "Música para todos".
  Este ano foi "meio" difícil para a família. Eduarda, irmã mais velha de Luan, ficou doente e seus pais gastaram muito com medicamentos. Seus pais o incentivavam, mas Luan estava vendo as dificuldades de sua família e queria fazer algo para ajudar. Pensou em largar os estudos para trabalhar. Foi repreendido por sua mãe, que lhe disse:
  "Filho, não desista de seu sonho. Ser músico é uma dádiva divina. Não jogue isso fora por causa de qualquer coisa. Você consegue ir mais além."
   
 Em novembro de 1999, Carlão do tenor diz a Luan que não poderia continuar com as aulas. Tudo que ele poderia ensinar para o menino, já o havia ensinado. Ele não queria enrolar Luan e deixar o menino preso a mais aulas que não iriam desenvolver sua musicalidade.
  Após uma semana sem as aulas do professor Carlos, Luan o encontra na rua de sua casa. Ele havia matriculado o menino em uma escola de música no Centro do Rio.

 Luan: Mas como vou pagar a escola professor? Meu pai não está ganhando muito e minha irmã ficou doente ano passado e ainda está fazendo tratamento.
  Carlão: Fique tranquilo Luan. Vamos para sua casa falar com seus pais.

 Após chegarem a casa de Luan, Carlão do tenor conta para Seu Antônio e Dona Maria que ele havia matriculado Luan em uma escola de música e que o menino ganhou uma bolsa especial. Luan teria de ir para o Centro do Rio 3 vezes por semana para estudar. A bolsa era de 100%, pois Carlão era amigo do dono da escola e conseguiu uma vaga para Luan.

 Carlão: Luan, você começa em janeiro. Se prepare, porque lá o estudo é mais puxado.

 Todos ficaram mudos, não sabiam o que dizer. Luan, chorando de felicidade, abraça seu professor em agradecimento.


Continua...


Autor: Maicon Andrade da Costa
Direitos reservados
Plágio é crime!